Sincronizando o Exercício

Sincronizando o exercício com o ciclo circadiano pode  melhorar a glicemia pós-prandial*

Quase sempre que falamos em prescrição de exercício, pensamos em três aspectos básicos:

1) tipo;

2) frequência e

3) intensidade.

Esta, última, é inclusive a recomendação do ACSM (American College of Sports Medicine), dentro do chamado método “FIT” (F: frequency; I: intensity; T: type). Mas será que dar atenção a apenas estes três aspectos é suficiente para um paciente portador de alguma patologia crônica? Não.

Existe alguma forma de se otimizar o impacto da atividade física sobre a glicemia em praticantes portadores de DM2? A resposta é sim! Provavelmente se adicionarmos o “timing” da pratica esportiva a essa lista (ficando então com “FITT”) podemos produzir uma melhora ainda mais pronunciada. Trabalhos recentes têm demonstrado que quando o exercício é realizado no período pós-prandial, em comparação ao período pré-prandial, ocorre maior redução da glicemia pós-prandial bem como da lipemia pós-prandial. Faz sentido, não é mesmo?

Lembro inicialmente que o músculo esquelético é responsável por 50-75% captação de glicose insulino-mediada. Sendo assim, o exercício (via ativação do músculo esquelético) é peça chave no controle da glicemia pós-prandial, e me parece “de bom tom” tentar manipular este “interplay” entre exercício e refeições a fim de extrair o melhor possível em termos de controle pós-prandial. Já é tão difícil fazer com os pacientes façam exercício… Então que se extraia o máximo possível desses momentos. Quer ver alguns exemplos ?

Ai vai:

  • Colber e cols demonstraram que 20 minutos de caminhada (sim ! caminhada e não corrida!) na esteira iniciados entre 15 e 20 minutos após o término do jantar promoveram redução da glicemia pós-prandial enquanto que o mesmo volume de exercício feito imediatamente pré-jantar não gerou nenhuma melhora glicêmica.
  • Em pacientes obesos (não DM), pequenos “bouts” de exercício distribuídos ao longo do dia atenuaram a glicemia de forma mais robusta do que a mesma quantidade de exercício realizada de uma só vez pela manhã.
  • A simples orientação dada aos pacientes para que façam caminhada iniciando-a 10 minutos após a refeição foi mais eficiente no controle da glicemia pós-prandial em pacientes com DM2 do que apenas indicar o exercício, porém sem especificar o “timing”. Vale ressaltar que este foi um elegante trabalho com desenho randomizado e em cross-over.
  • Exercício de musculação iniciado 45 minutos após o término do jantar foi mais eficiente na redução da glicemia pós-prandial do que fazê-lo acabando até 30 minutos antes do jantar.

Entre tantos outros. O fato é que, a maioria dos trabalhos aponta nesse mesmo sentido. Ou seja, vale a pena atentar para este ponto além dos outros que já estamos acostumados a observar.

Os mecanismos por trás deste fenômeno são muitos, dentre os quais destacaria:

  • Quando um paciente com DM2 se exercita em jejum (ou no período pré-prandial) o ambiente hormonal de fundo é caracterizado por:
    – Insulina
    – Glucagon ­
    – Cortisol ­

Este cenário “libera” a produção hepática de glicose assim como a secreção de triglicérides pelo fígado, ou seja, o inverso do que desejamos quando pensamos em controle da glicemia e lipemia pós-prandial.

Por outro lado, ao se exercitar no período pós-alimentar, o “milieu” endócrino será o seguinte:

– Insulina ­
– Glucagon
– Cortisol

Muito mais favorável para o controle glicêmico e lipêmico.

  • O exercício, quando realizado no período pós-prandial ajuda a realinhar a inversão de padrão circadiano que ocorre no DM2. Este nos parece o grande ponto do momento científico atual. Conhecido como “cronobiologia”.  Em outras palavras: qual o papel das variações circadianas que ocorrem na sensibilidade a insulina e na tolerância lipídica nisso tudo ? Em indivíduos não diabéticos há uma maior sensibilidade a insulina e uma melhor tolerância lipídica no período da manhã, a qual vai piorando ao longo do dia até um pico no período da noite(antes de dormir). Já em pessoas com DM2 existe uma inversão deste padrão: o período da madrugada é que passa a exibir uma pior sensibilidade a insulina e uma maior intolerância lipídica. Razão pela qual há hiperglicemia de jejum nestes pacientes (o chamado “fenômeno do alvorecer” ou “dawn phenomenon”).

Vejam outros pontos de fisiopatologia correlatos e que ajudam a entender este assunto:

  • Indivíduos em risco para desenvolvimento de DM2 apresentam aumento na expressão de receptores de melatonina no pâncreas. A melatonina, por sua vez, mostrou-se capaz de inibiar a secreção de insulina pela cel B glicose-mediada.
  • Pacientes com DM2 exibem, claramente, um ritmo circadiano de estocagem de glicogênio hepático.
  • Manipulação da função de genes relacionados ao ritmo circadiano (como: CLOCK e BMAL1) em modelos animais ocasiona DM.
  • O pico noturno de melatonina ocorre de forma atrasada em pessoas com DM2.
  • Exercício realizado a noite (após a meia-noite) pode aumentar de forma considerável o pico noturno de melatonina

Enfim, do ponto de vista fisiopatológico, há uma ligação evidente e complexa entre os ritmos circadianos e DM2. Do mesmo modo há relação entre estes ciclos nicteméricos e a resposta ao exercício. Está, portanto, a nossa alcance, através de uma orientação simples manipular esta cronobiologia a favor do nosso paciente. “Procure fazer o seu exercício, sempre que possível, no período pós-prandial. Assim conseguiremos baixar mais a sua glicose e o seu colesterol !”. Fácil, não? Então mãos à obra e bons treinos!

Dr. Roberto Zagury, Diretor Científico ASSEP-IEDE, gestão 2019-2020

Referências:

  • Heden TD, Kanaley JA. Syncing exercise with meals and circadian clocks. Exerc Sports Sci Rev 2018;47(1):22-8
  • Colberg SR, Zarrabi L, Bennington R et al. Postprandial walking is better for lowering the glycemic effect of dinner than pre-dinner exercise in type 2 diabetic individuals. J Am Med Dir Assoc 2009;10(6):394-7
  • Holmstrup M, Fairchild T, Keslacy S et al. Multiple short bouts of exercise over the 12-h period reduce glucose excursions more than an energy-matched single bout of exercise. Metabolism 2014;63(4):510-9
  • Reynolds AN, Mann JI, Williams S et al. Advice to walk after meals is more effective for lowering postprandial glycaemia in type 2 diabetes mellitus than advice that does not specify timing: a randomized crossover study. Diabetologia 2016;59(12):2572-8
  • Heden TD, Winn NC, Mari A et al. Postdinner resistance exercise improves postprandial risk factors more effectively than predinner resistance exercise in patients with type 2 diabetes. J Appl Physiol (1985) 2015;118(5):624-34

Fale Conosco

Endereço: R. Moncorvo Filho, 90 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20211-340

Telefone: (21) 2332-7154

Email: assep.iede@gmail.com

Expediente:  

Equipe de Reportagem: DcPress, Cristina Dissat (editora), Celso Pupo, André Dissat, Patrícia Bernardo, Tainá Oliveira e Tom Carvalho

Telefone: 2205-0707

Email: contato@dcpress.com.br

O IEDE

História

Em meados da década de 60, o Centro de Diabetes do Hospital Moncorvo Filho transformou-se no Centro de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione, posteriormente nomeado Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE). A mudança aconteceu após a assinatura do Decreto 350 pelo governador do Rio de Janeiro, na época, Negrão de Lima.

Desde então, o IEDE vem se destacando como um centro de excelência no tratamento, ensino e pesquisa de doenças endocrinológicas e metabólicas. Suas atividades são nacionalmente reconhecidas.

Além do atendimento e acompanhamento da população, o Instituto também se tornou pioneiro em diversas atividades acadêmicas como: os cursos de Especialização em Diabetes e Endocrinologia e a Residência em Endocrinologia e Metabologia, primeira na área a ser aprovada pela Comissão Nacional de Residência Médica.

O IEDE fica localizado na Rua Moncorvo Filho, n° 90, no Centro/RJ.

IEDE e Tradição – Curso de Pós-Graduação em Endocrinologia

A formação de pós-graduados em Endocrinologia sempre andou a pleno vapor, chegando hoje a 22 alunos formados a cada ano. Atualmente, Já somos mais de 500.

A pesquisa clínica, por outro lado, andou adormecida até a virada do século, quando escassearam as publicações e a formação acadêmica ficou praticamente limitada ao Mestrado. Tínhamos à época somente 1 Doutor e eram poucos os trabalhos científicos que chegavam sequer à submissão.

Foi quando se iniciou um planejamento estratégico, visando primariamente o estímulo à formação de Doutores e à publicação de trabalhos científicos. As monografias que faziam parte dos requisitos do curso deram lugar a trabalhos científicos de conclusão de curso. Criou-se também a reunião acadêmica, que reúne na primeira segunda- feira de cada mês os principais envolvidos com o ensino e a pesquisa no IEDE. Participam o Diretor-Geral, o Diretor Emérito, a Diretora de Assistência, o Diretor de Ensino e Pesquisa, os Coordenadores do Curso, os Chefes de Serviços, a Coordenadora do CEP, a Presidente do Centro de Estudos e o Coordenador da Residência Médica. Ali são debatidos os temas mais importantes sobre pesquisas e as questões do alunato. Ao longo dos últimos 15 anos, foram mais de 150 reuniões. Parece que a estratégia deu certo. Se considerarmos os 2 indicadores principais, hoje o IEDE já conta com 15 doutores e a produção científica se multiplicou, com mais de 200 artigos publicados desde então.

O ensino e a pesquisa sempre fizeram parte da vocação do IEDE e hoje se consolidam como componentes indissociáveis de nossa Missão.

Encontro Anual do IEDE


O Encontro Anual do IEDE é um dos principais eventos científicos da ASSEP. A edição de 2019 (48°) tem data e local definidos. O Encontro será realizado nos dias 29 e 30 de novembro, no Centro de Convenções Hotel Windsor Marapendi/RJ, mesmo local da edição passada.

Atentos aos principais debates da Endocrinologia e Metabologia, os organizadores da atividade escolheram para a próxima edição um tema bastante atual e que tem gerado grandes discussões na área da saúde: as fakes news.

Com o título “Fatos e Fakes em Endocrinologia”, o Encontro do IEDE promete uma grade científica com mais conteúdo, além de mais visibilidade e interação entre expositores e os participantes.

A expectativa é de que 300 médicos participem do evento.

A programação está sendo pensada e um esboço dos assuntos que serão discutidos já foi feito. Suplementação alimentar no atleta amador, mitos e verdades das dietas, vitamina D, miocardiopatia diabética, sarcopenia e osteoporose são alguns dos temas incluídos na programação científica preliminar.

Programação Científica

Primeiro Dia – 29/11/2019 (Sexta-feira)

07h30 – 07h50: Credenciamento

07h50 – 08h00: Abertura

  • Dr. Ricardo Meirelles (Diretor do IEDE)
  • Dra. Cynthia Valério (presidente da ASSEP-IEDE Biênio 2019-2020)
  • Dr. Edmar Santos (Secretário de Estado de Saúde)
  • Dr. Carlos Adolfo Barreira Pinto Calçada (Diretor Executivo da Fundação Saúde)

Medicina do Estilo de Vida

08h00 – 09h00 – Endocrinologia do Esporte

Moderadora: Dra. Cynthia Valério

  • 08h00 – 8h20: Suplementação alimentar no atleta amador – Dr. Ricardo Oliveira
  • 08h20 – 08h40: Cronobiologia do exercício – isso existe? – Dr. Roberto Zagury 
  • 08h40 – 09h00: Debate

09h00 – 10h00 – Hot Topics 1

Moderador: Dr. Walmir Coutinho

  • 09h00 – 09h20: Mitos e verdades das dietas – Dra. Erika Paniago
  • 09h20 – 09h40: Longevidade, dieta e atividade física: qual a conexão? – Dr. Paulo Matos
  • 09h40 – 10h00: Debate

10h00 – 10h30 – Coffe break – visita aos expositores

10h30 – 12h00 – Hot Topics 2

Moderadora: Dra. Lívia Lugarinho

  • 10h30 – 10h50: Melatonina: melhor produzir do que usar? – Dr. Bruno Halpern
  • 10h50 – 11h10: Vitamina D: além do metabolismo ósseo? – Dr. Miguel Madeira
  • 11h10 – 11h40: Debate

12h00 – 13h00 – Sessão  Encontro com o Professor 1  “MEET THE PRESIDENT”

  • Caso clínico: Reposição de testosterona no jovem: quando fazer?

Dr. Ricardo Meirelles e Dr. Alexandre Hohl

  • 13h00 – 13h40: Almoço – Simpósio

Diabetes e Metabologia

13h40 – 14h50: Mesa Redonda: Diabetes e doença cardiovascular

  • 13h40 – 14h00: Insuficiência cardíaca fração de ejeção preservada (ICFEp) – como diagnosticar? – Dr. Marcelo Assad
  • 14h00 – 14h20: O que muda no tratamento do DM – Dra. Joana Dantas
  • 14h20 – 14h50h: Debate

14h50 às 16h20: Como eu faço? Debate com especialistas

  • 14h50 – 15h20: Caso Clínico – DM1 lábil com monitorização – Relator: Dra. Cristine Beltrão

Discussão: Time in range, setas de tendência, média – é o fim da
HbA1c? – Dra. Rosane Kupfer e Dra. Paloma Hess

  • 15h20 – 15h50: Caso Clínico – Diabetes gestacional na paciente obesa – Estamos fazendo tudo por ela? – Relator: Dra. Luciana Lopes

Discussão: Dra. Lenita Zajdenverg/ Dr. Rodrigo Souza

  • 15h30 – 16h20: Caso clínico – DM2 e esteatohepatite não alcoólica: como conduzir – Relator: Dr. Ivan Cruz

Discussão: Dr. João Marcello de Araújo Neto e Dra. Cynthia Valério

16h20 – 16h50: Coffe break – visita aos expositores

16h50 – 17h30: Endocrinologia Feminina

  • 16h50 – 17h10: Tratamento da libido na mulher – apenas os hormônios
  • importam? – Dra. Karen de Marca
  • 17h10 – 17h30 – Isso é SOP ou não? – Dra. Graziela Mendonça

17h30 – 18h10: Simpósio

18h10 – 19h00: Prêmio José Schermann  – Dra. Maria Lucia Fleiuss de Farias

  • Conferência: Histórico do osteometabolismo no RJ

19h00 – 19h30: Jubileu da turma de 25 anos

19h30: Coquetel de boas vindas

Segundo Dia – 30/11/2019 (Sábado)

08h00 – 10h00 – Endocrinopatias do idoso

Moderadora: Dra. Priscilla Gil

  • 08h00 – 08h15: Sarcopenia – Dra. Flávia Regina
  • 08h15 – 08h30 – Dislipidemia – Dr. Alexander Benchimol
  • 08h30 – 08h45 – Debate
  • 08h45 – 09h00 – Hipotiroidismo Subclínico – Dra. Denise Momesso
  • 09h00 – 09h15 – Osteopenia – Dr. Renato Torrini
  • 09h15 – 09h30 – Debate

09h30 – 10h00: Coffe break – visita aos expositores

10h00 – 11h00: Simpósio Satélite Novartis – Neuroendócrino

  • Atualização em Síndrome Cushing e Acromegalia – Dr. Leandro Kasuki e Dr. Luiz Eduardo Wildemberg

11h00 – 11h50: Medalha Francisco Arduíno – Dr. Amélio Godoy-Matos

  • Conferência: Diabetes e obesidade – uma viagem metabólica

11h50 – 12h50 – Sessão Encontro com o Professor “MEET THE PRESIDENT”

  • DM2 no lipodistrófico

Dr. Rodrigo Moreira e Dr. Amélio Godoy

12h50 – 13h:10: Encerramento

  • Dr. Ricardo Meirelles
  • Dra. Cynthia Valério

13h10: Almoço de confraternização






Cursos

Curso de Obesidade IEDE

  • Data: 31 de maio de 2019
  • Local: IEDE

No dia 31 de maio foi realizado o Curso de Obesidade, no IEDE, com a organização da ASSEP. O evento abordou alguns temas como: qual dieta escolher para seu paciente; abordagem medicamentosa no tratamento de obesidade, como diagnosticar compulsão alimentar, entre outros temas.

A Dra. Cynthia Valério, presidente da ASSEP, foi uma das palestrantes. Também participaram do evento os doutores: Dr. Ricardo Meirelles (Diretor do IEDE); Dr. Walmir Coutinho; Dra. Lívia Lugarinho; Dr. Marcos Fortes; Dra. Priscilla Gill; Dra. Martha Madureira; Dra. Silva Freitas; Dra. Juliana Coelho; Dr. Alexandre Benchimol; Dra. Roberta Tarantino e Dra. Monica Duschenne. 

Leia também – Notícias.

Oficinas

Oficina de Neuropatia Diabética

  • Data: 20 de julho
  • Local: Hotel Windsor Excelsior

Calendário de eventos

Agenda Anual da ASSEP

  • Simpósio Carioca de Tireoide  
  • Data: 27 de abril de 2019
  • Local: Hotel Windsor Florida

Semana Internacional da Tireoide

  • Data: 23 de maio de 2019
  • Local: IEDE
  • Atividades: distribuição de folders e tendas informativas à população

Curso de Obesidade IEDE

  • Data: 31 de maio de 2019
  • Local: IEDE

II Simpósio Carioca de Endocrinologia Feminina e I Simpósio de Andrologia

  • Data: 6 de julho de 2019
  • Hotel Windsor Flórida

Oficina de Neuropatia Diabética

  • Data: 20 de julho
  • Local: Hotel Windsor Excelsior

Dia de Combate ao Colesterol

  • Data: 8 de agosto de 2019
  • Local: IEDE
  • Atividades: distribuição de folders e tendas informativas à população

Curso de Atualização em Diabetes

  • Data: a definir
  • Local: IEDE

Evento Osso

  • Data: 5 de outubro de 2019
  • Local: IEDE

Dia Nacional de Prevenção da Obesidade

  • Data: 11 de outubro de 2019
  • Local: IEDE
  • Atividade: distribuição de folders e tendas informativas à população

48° Encontro Anual do IEDE

  • Data: 29 e 30 de novembro de 2019
  • Local: Centro de Convenções Hotel Windsor Marapendi/RJ
  • Tema: Fatos x Fake na Endocrinologia

Estatuto da ASSEP


Ata de Fundação da Sociedade dos Ex-Alunos do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (ASSEP-IEDE)

Aos dezesseis de dezembro de mil novecentos e setenta e sete, reuniram-se às onze horas, no salão do hotel glória, nesta cidade do Rio de Janeiro, os colegas abaixo relacionados para fundarem a “ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO ESTADUAL DE DIABETES E ENDOCRINOLOGIA LUIZ CAPRIGLIONE”, também denominada ASSEP-IEDE:

1- Francisco Pedro Junqueira Ferraz; Tamar Gomes Pinheiro Frankenfeld,;Ethel Stambousky Spichler; Maria Orlanda Marques de Pinho; Olga Maria Silveira; Tadeu de Almeida Lima; Isio Schulz; Adriana Costa e Forti; Sergio de Carvalho; Mauricio Barbosa Lima; Luciano Coelho Maia; Nilton César da Silva; Carlos Antonio Marques Rodrigues; Zacarias B. Neto; Luiz Carlos Espíndola; Amanda Musacchio; Ricardo M. R. Meirelles; Helena Manhães; Wilson Amorim Tristão; Álvaro Machado; Lívia L. Liepin; Célia Regina Pierantoni Lopes, todos brasileiros, ex-alunos do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione, os quais após entendimentos e resoluções deliberaram:

1- Eleger por aclamação geral para presidir e secretariar os trabalhos desta reunião, aos colegas: Francisco Pedro Junqueira Ferraz e Wilson Amorim Tristão;

2- Designar uma diretoria provisória para responder pela nascente Sociedade, organizar os seus Estatutos, promover o seu registro, constituir o seu quadro social e todas as medidas necessárias para o seu bom funcionamento;

3- Eleger por aclamação geral para ocupar os diversos cargos de diretoria os seguintes colegas: Presidente: Maurício Barbosa Lima; Vice-Presidente: Francisco Pedro Junqueira Ferraz; 1° Secretário: Wilson Amorim Tristão; 2° Secretário: Célia Regina Pierantoni Lopes; 1° Tesoureiro: Maria Orlanda Marques de Pinheiro; 2° Tesoureiro: Amanda Valéria Athayde Musacchio; Relações Públicas: Ricardo Martins da Rocha Meirelles; e Vogal Álvaro de Faria Machado Filho.

Aprovação dos Estatutos:

Foi apresentado, discutido, aprovado por unanimidade, o seguinte Estatuto: ESTATUTO DA SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO ESTADUAL DE DIABETES E ENDOCRINOLOGIA “LUIZ CAPRIGLIONE” (ASSEP-IEDE), de acordo com a resolução SUC 235, de 14.07.70.

Denominação, Composição, Duração e Finalidade:

Art. 1º – Sob a denominação de SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS DO INSTITUTO ESTADUAL DE DIABETES E ENDOCRINOLOGIA “LUIZ CAPRIGLIONE” – (ASSEP-IEDE), foi fundada e constituída uma sociedade civil, com finalidade beneficente, por tempo indeterminado, com sede e foro na cidade do Rio de Janeiro, que se regerá pelo presente ESTATUTO e pela legislação em vigor.

Parágrafo 1° – A sede da secretaria da SOCIEDADE será instalada, se possível, em área da unidade hospitalar, colocada à sua disposição, a título precário, enquanto convier à secretaria de saúde do Estado do Rio de Janeiro;

Parágrafo 2° – Os sócios não respondem subsidiária ou solidamente por obrigações contraídas pela sociedade;

Art. 2° – A SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS tem por objetivo o congraçamento de pessoas físicas e jurídicas, visando cooperar com a unidade hospitalar, organização de cursos, jornadas, simpósios, comunicação científica, elaboração de boletins e outros que tenham por finalidade a difusão de temas científicos de interesse;

Art. 3° – É vedada à SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS interferência nos assuntos técnicos e administrativos do órgão, cujas normas observará;

Art. 4° – Ficam vedadas à SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS quaisquer manifestação de caráter político e religioso;

Art. 5° – Promoções sociais, festividades e visitas em grupos ao Instituto Estadual de Diabete e Endocrinologia poderão ser patrocinadas pela SOCIEDADE DOS EX-ALUNOS, com a concordância prévia do Diretor.

CAPÍTULO II

Do Quadro Social

Art. 6° – Serão admitidos como sócios, pessoas físicas ou jurídicas que desejem colaborar. O quadro social será dividido em 3 (três) classes ou categorias, a saber: I- Fundadores, II- Benemérito, III- Contribuintes.

Art. 7° – Serão sócios fundadores todos os que subscreverem as listas de adesão prévia e a lista de presença na reunião que constitui a Sociedade.

Art. 8° – Será sócio Benemérito aquele que, na qualidade de sócio contribuinte, tiver prestado relevantes serviços à Sociedade ou que contribuir com a quantia equivalente a 50 (cinquenta) vezes o salário mínimo vigente.

Parágrafo Único: O título de sócio benemérito só será concedido mediante proposta apresentada pela maioria absoluta dos Diretores e Homologada pela Assembléia Geral.

Art. 9° – Será sócio contribuinte a pessoa física ou jurídica, que tiver sido aceita de acordo com o art.10.

CAPÍTULO III

Da Admissão ao Quadro Social, dos Direitos e Deveres dos Sócios e das Penalidades

Seção Primeira

Da Admissão ao Quadro Social

Art. 10° – Serão requisitos essenciais à condição de contribuinte:

a) Ser proposta por um sócio;

b) Ter sua proposta aprovada pela Diretoria;

c) Contribuir, pelo menos, com a anuidade de participação mensal arbitrada de acordo com a previsão orçamentária anual.

Seção Segunda

Dos Direitos dos Sócios

Art. 11° – São direitos dos sócios das categorias previstas neste Estatuto:

I. participar das Assembléias Gerais;

II. votar e ser votado, a partir do 3º mês de sua admissão na Sociedade;

III. propor sócios para as categorias previstas neste Estatuto.

Seção Terceira

Dos Deveres dos Sócios

Art. 12° – São deveres dos sócios de qualquer categoria:

I. Cooperar com os Objetivos da sociedade;

II. Cumprir e respeitar fielmente todas as obrigações estatutárias e demais resoluções tomadas pelos poderes competentes da sociedade;

III. Pagar a anuidade de acordo com o critério estabelecido.

Seção Quarta

Das Penalidades

Art. 13° – Perderá a condição de sócios aquele que:

a) Atentar contra a disciplina;

b) Deixar de pagar a contribuição anual;

Parágrafo 1°: Ao sócio punido caberá recurso da penalidade imposta, à Assembléia Geral, no prazo de 10 (dez) dias a contar da data da notificação;

Parágrafo 2°: Ao conselho diretor compete deliberar sobre a aplicação da penalidade.

CAPÍTULO IV

Das Assembléias Gerais

Art. 14° – As Assembleias Gerais, ordinárias ou Extraordinárias, constituída pelos sócios das várias categorias, são soberanas nas sua resoluções não conflitantes com as leis vigentes e o presente Estatuto.

Parágrafo Único – As Assembleias só poderão ser realizadas, com a presença da maioria absoluta dos integrantes do quadro social, quites e, em segunda convocação, com a presença de qualquer número de sócios, no mínimo uma hora após.

Art. 15° – Realizar-se-ão as Assembleias Gerais ordinárias 60 (sessenta) dias antes do término do mandato da Diretoria, para discussão e aprovação das contas e balanços do exercício anterior e estudo e aprovação do orçamento para o exercício seguinte;

Art. 16° – Realizar-se-ão as Assembleias Gerais Extraordinárias por convocação da Diretoria ou a requerimento da maioria dos sócios quites, para deliberar sobre matéria de interesse social.

Parágrafo Único – As convocações de que trata este artigo serão feitas no mínimo 15 dias antes da data da realização da Assembléia , através de convite ou de edital em jornal de grande circulação.

Art. 17° – As Assembleias Gerais serão instaladas pelo Presidente da Sociedade ou seu substituto e presidida pelo sócio que, na ocasião, for aclamado para este fim, o qual convidará para secretários, dois associados para escrutinadores, quando necessários.

Art. 18° – Só poderão tomar parte nas Assembleias e com direito a voto, os sócios que estiverem quites com a sociedade.

CAPÍTULO V

Da Administração Geral, da Diretoria, dos Diretores e do Conselho Fiscal

Art. 19° – A sociedade dos Ex-Alunos será dirigida pelos órgão estabelecidos neste Estatuto, os quais serão eleitos em Assembléia geral, formada de sócios contribuintes quites.

Seção Primeira

Da Administração Geral

Art. 20° – São órgãos da administração Geral da sociedade:

a) Diretoria

b) A Comissão Fiscal

Seção Segunda

Da Diretoria

Art. 21° –A Diretoria será composta de 8 (oito) membros, titulares dos seguintes cargos:

I. Presidente;

II. Vice-Presidente;

III. Primeiro Secretário;

IV. Segundo Secretário;

V. Primeiro Tesoureiros;

VI. Segundo Tesoureiros;

VII. Diretor Social – vogal;

VIII. Diretor de Divulgação;

Art. 22° – A Diretoria, cujo mandato terá a duração de 2 (dois) anos, será eleita pela Assembléia geral Ordinária, em escrutínio secreto ou por aclamação, quando houver somente uma chapa.

Art. 23° –A Diretoria reunir-se-á a critério do Presidente, ou por solicitação da maioria de seus componentes.

Art. 24° – Para a realização das reuniões da diretoria é necessária a presença mínima de cinco membros.

Art. 25° – Das reuniões de diretoria serão lavradas atas em livro especial, devidamente autenticadas, as quais serão lidas em aprovadas na sessão seguinte.

Art. 26° –A diretoria, que decidirá sempre coletivamente pelo voto da maioria de seus membros, compete:

1°. Dirigir a sociedade de acordo com os dispositivos do presente Estatuto, administrando o patrimônio social e cumprindo as finalidades para que foi criada;

2°. Cumprir e fazer cumprir as determinações emanádas do presente Estatuto, dos regulamentos ou regimentos internos que venham a ser criados e das resoluções das Assembléias gerais;

3°. Resolver sobre admissão, readmissão, exclusão de sócios;

4°. Estudar, inicialmente, sobre despesas e benfeitorias superiores a 10 (dez) vezes o salário mínimo vigente;

5°. Autorizar o uso das verbas, devendo qualquer gasto superior à metade do salário mínimo, ter autorização do Presidente, “ad-referendum” da diretoria;

6°. Verificar, trimestralmente, a situação financeira da sociedade, mediante balancete apresentado pela tesouraria, encaminhado-o ao exame e à deliberação da comissão fiscal;

7°. Levantar, anualmente, em 31 de dezembro de cada ano, o balanço geral do exercício financeiro, com o parecer da comissão fiscal, apresentando-o à Assembléia geral ordinária;

8°. Afixar, no lugar para isto destinado, o balanço de cada ano e as resoluções da diretoria, a fim que esse documento sejam do conhecimento geral;

9°. Recolher os saldos da sociedade a um estabelecimento bancário;

10°. Abrir créditos necessários para cobrir quaisquer despesas com a autorização da Assembléia geral;

11°. Atribuir a qualquer diretor da sociedade, funções outras, que não as estipuladas pelo Estatuto, se tal for necessária, a seu critério;

12°. Registrar, em livro próprio, todos bens incorporados ao patrimônio da sociedade com os respectivos valores.

Seção Terceira

Dos Diretores

Art. 27° – Compete a cada membro da diretoria:

I Presidente: a) Representar a sociedade judicialmente e extrajudicialmente;

b) controlar, de modo geral, todos os serviços sociais, coordenando e articulando a ação dos demais diretores, fiscalizando a vida administrativa e social da entidade;

c) convocar as sessões da Diretoria e as das Assembléias, presidindo aquelas e instalando as destas últimas;

d) assinar as atas das sessões, o orçamento anual e todos os documentos pertinentes, bem como rubricar os livros da Associação;

e) ordenar as despesas autorizadas e visar as contas e pagar, ouvida a tesouraria;

f) assinar cheques ou qualquer outra ordem de pagamento bancário, em conjunto com o tesoureiro;

g) dar, nas deliberações da diretoria, o voto de qualidade, nas deliberações da Diretoria, quando houver empate.

II Vice-Presidente: a) substituir o Presidente, em suas faltas ou impedimentos eventuais, e exercer as funções que lhe forem atribuídas.

III Primeiro Secretário: a) redigir e ler as atas das reuniões da Diretoria;

b) preparar correspondências e o expediente da sociedade;

c) assinar todo o expediente da secretaria, com exceção daquele que, pela origem ou destino,deva ser assinado pelo Presidente;

d) substituir o Vice-Presidente, nas suas faltas e ou impedimentos.

IV Segundo Secretário: a) substituir o Vice-Presidente, nas suas faltas ou impedimentos e exercer as funções que lhe forem atribuídas.

V Primeiro Tesoureiro: a) ter sob sua guarda e responsabilidade os valores da sociedade;

b) assinar, com o Presidente, os cheques e efetuar os pagamentos e recebimentos autorizados;

c) apresentar ao conselho fiscal balancetes mensais e o balanço anual;

d) recolher o dinheiro da sociedade ao banco que tiver sido indicado pela diretoria.

Parágrafo Único – É vedado ao tesoureiro conservar, em seu poder, importância equivalente ou superior a 3 ( três) vezes o valor do salário mínimo vigente.

VI Segundo Tesoureiro: a) substituir o Primeiro Tesoureiro em suas faltas ou impedimentos e exercer as funções que lhe forem atribuídas.

VII Diretor Social ou vogal: a) promover atividades sociais de acordo com o programa aprovado pela Diretoria, com o conhecimento prévio ao Diretor do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia e substituir qualquer membro da Diretoria, quando necessário;

VIII Diretor de Divulgação: a) promover por todos os meios de divulgação, a finalidade e as realizações da sociedade. Seção quarta Do Conselho Fiscal

Art. 28° – A sociedade terá um conselho fiscal, composto de três membros e respectivos suplentes, eleitos em Assembléia geral, limitando-se sua competência à fiscalização da gestão econômica financeira.

Art. 29° – Ao conselho fiscal compete

a) dar parecer sobre os balanços mensais do exercício econômico – financeiro, visando-os;

b) reunir-se uma vez por mês e, extraordinariamente, quando for necessário.

CAPÍTULO VI

Das Reuniões e Substituições

Art. 30° – Havendo renúncia, ou destituição, de qualquer membro da diretoria, assumirá, automaticamente, o cargo vago o substituto automático legal, previsto neste Estatuto.

Art. 31° – Se houver renúncia coletiva da diretoria ou de sua maioria, bem como da comissão fiscal, o Presidente, ainda que resignatário, convocará a Assembléia geral Extraordinária, a fim de que seja constituída uma Diretoria provisória.

Art. 32° – A Diretoria provisória, constituída nos termos do artigo anterior, procederá às diligências necessárias à realização de novas eleições, no prazo máximo de 90 (noventa) dias, contados a partir da data de sua posse.

Art. 33° – Em caso de ausência não justificada, em três reuniões sucessivamente ou cinco intercaladas, de membro da Diretoria ou conselho fiscal, haverá sua automática substituição do cargo.

CAPÍTULO VII

Das Disposições Gerais e Transitórias

Art. 34° – O Presente estatuto só poderá ser reformulado por uma Assembléia geral, para esse fim especialmente convocada, estando presentes, pelo menos, dois terços (2/3) dos associados quites, devendo ser submetido à aprovação do conselho de administração da secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

Art. 35° – A dissolução da sociedade só se dará por deliberação expressa da Assembléia Geral extraordinária especialmente convocada, com aprovação no mínimo de 2/3 dois terços dos sócios com direito a voto.

Parágrafo Único – Os bens da sociedade só poderão ser doados a sociedades congênere da secretaria de saúde do Estado do Rio de Janeiro.

Art. 36° – Na forma dos artigos 21 e 22 deste Estatuto, foi eleito e empossada, por aclamação, a diretoria para o período de 1° de junho de 1978 a 31 de maio de 1980, a saber:

a) Presidente: Maurício Barbosa Lima, brasileiro, casado, médico, residente na Rua São Clemente, 510 apto 1203, nesta cidade, inscrito no CPF sob o n° 043.098.557/68, portador da identidade n° 11.664 do conselho regional de medicina do Rio de Janeiro;

Vice-Presidente: Francisco Pedro Junqueira Ferraz, brasileiro, casado, médico, residente na Rua Uruguai, n° 486 apto c-01, nesta cidade, inscrito no CPF sob o n° 028006407/15, portador da identidade n° 10.712 do conselho regional de medicina do Rio de Janeiro;

Primeiro Secretário: Wilson Amorim Tristão, brasileiro, casado, médico, residente nesta cidade, na Rua Candido Benício n° 1708 apto 302, portador da identidade n° 65914 expedida pelo ministério da Aeronáutica, inscrito no CPF sob o n° 061848477/91;

Segundo Secretário: Célia Regina Picienton Lopes, brasileira, casada, médica, Residente na Rua Cesário Alvim n° 55 apto 303, Bloco B, nesta cidade, portadora da identidade n° 21.139, do CRM/RJ, inscrito no CPF sob o n° 370561587/49;

Primeiro Tesoureiro: Maria Orlanda Marques de Pinho, brasileira, solteira, médica, residente na Praça Hilda n° 6 apto 301, nesta cidade, portador da identidade n° 11.871 expedida pelo CRM/RJ e inscrita no CPF sob o n° 072719487/91;

Segundo Tesoureiro: Amanda de Athayde Musacchio, brasileira, casada, médica, residente nesta cidade, na Rua Sorocaba n° 193 , portador da identidade n° 15.455 expedida pelo CRM/RJ, inscrita no CPF sob o n° 533161347/00;

Diretor Social Vogal: Álvaro de Faria Machado Filho, brasileiro, desquitado, médico, residente nesta cidade, na Rua Prudente de Moraes, 569 cobertura, inscrito no CPF sob o n° 130308847/91, portador da identidade n° 3234951 Expedida pelo Instituto Felix Pacheco; Diretor de Divulgação:

Ricardo Martins da Rocha Meirelles, brasileiro, solteiro, médico, residente na Rua Conselheiro Lafaiette n° 94 apto 801, portador da identidade n° 15320, expedida pelo CRM/RJ, inscrito no CPF sob o n° 127817707/87.

Após esta aprovação do Estatuto, o presidente franqueou a palavra aos presentes que, por unanimidade, aprovaram todos os itens acima descritos e como ninguém mais desejasse fazer uso da palavra, encerrou-se a presente reunião de assembléia, às quatorze horas. E eu, Wilson Amorim Tristão lavrei a presente ata, que consta tudo que foi apresentado, desertado, aprovado, estando por mim assinada na qualidade de secretário, seguida do Sr. Presidente da mesa.

Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 1977.